15.1.09

Perguntaste-me se gostava de ti. Como seria possível ainda duvidares? Acho que, lá no fundo, só querias ouvir que te amava mais uma vez… e então disse-te. Disse naquela e em tantas outras vezes, da forma mais natural e sincera que o coração me permitia. Afinal, amar-te nem era discutível. Era-me tão espontâneo quanto pensar mas hoje, com a mesma espontaneidade no pensamento, pergunto-me se alguma vez retribuíste o nosso “Amo-te” que me parece ter sido só meu… Se pudesse, agora perguntava-te se gostas de mim. Não seria uma questão de dúvida, talvez quisesse apenas ouvir-te dizer que me amas, nem que fosse uma só vez.

 

Link Homem de Lata, às 19:37  Comentar

De Margarida a 15 de Janeiro de 2009 às 20:33
Dá vontade de pedir o coração de volta

(e no estado em que o demos)

Não é?

:)

De Homem de Lata a 15 de Janeiro de 2009 às 20:42
A questão é que depois de entregue não há retorno possível. O amor dá-nos a capacidade de sermos verdadeiramente altruístas. Damos o que temos de melhor e o melhor somos nós mesmos. Obrigado :-)

De Ametista a 15 de Janeiro de 2009 às 20:59
Senti um arrepio ao ler-te...

Beijinho

De Homem de Lata a 15 de Janeiro de 2009 às 22:49
Então vem arrepiar-te mais vezes na companhia das minhas palavras:-)

De Afonso a 15 de Janeiro de 2009 às 21:06
http://www.neobux.com/?rh=43654C4C

De Carolina a 15 de Janeiro de 2009 às 22:13
ola :)
Como sempre, ao ler os teus textos fico a pensar ''Mas o que raio é que aconteçeu? Porque é que ele escreve sempre no pretério imperfeito? E sempre como se tivesse saudades daqueles momentos, que parecem nunca voltar a aconteçer..Parece que a rapariga o deixou, sei la! e que agora ele recorda todos os momentos passados com ela, reflectindo-os nestes textos maravilhosos..''

De Homem de Lata a 15 de Janeiro de 2009 às 22:51
Caolinaaaaaaaa!:-) São desabafos de um coração sincero... Passados, presentes e futuros.

De Carolina a 16 de Janeiro de 2009 às 08:43
Pois, também pensei nisso :P

De Homem de Lata a 16 de Janeiro de 2009 às 20:18
jokaaa!

De DJ a 15 de Janeiro de 2009 às 22:38
Continuo à espera do teu livro ..... aquele que um dia irás autografar, junto à banca onde o irei comprar!!!


Bejus e Abracinhos

De Homem de Lata a 15 de Janeiro de 2009 às 22:52
Terás algumas páginas para ti...:-) beijos e obrigado

De arim a 15 de Janeiro de 2009 às 22:49
Homem de Ferro...o nome que em nada combina com o que o seu coração parece ser, ao ler o que escreve neste blog.
Nãosei se já plantaste uma àrvor, mas... já pensaste escrever um livro? :-)
A tua escrita é verdadeiramente apaixonante!
Só descobri ontem o teu blog, devido ao destaque que bem mereceu ontem!
Parabéns pelo destaque e sobretudo pela forma como escreves.

De Homem de Lata a 16 de Janeiro de 2009 às 20:02
Olá, muito obrigado pelas tuas palavras que me incentivam a continuar. Em relação ao livro, espero um dia conseguir fazê-lo mas tenho para mim que será bem mais difícil do que plantar a árvore. Até lá, se conseguir escrever aqui e plantar o amor no coração de todos os que me lêem, já fico muito contente. Obrigado e espero que voltes.

De miúda a 15 de Janeiro de 2009 às 22:57
talvez um dia eu consiga dizer essa palavrinha tão mágica que dizes tão serena e docemente... nunca o disse... talvez o mundo ande surdo demais para eu me ouvir dize-lo.
gostei do post. bjinho***

De Homem de Lata a 16 de Janeiro de 2009 às 20:05
Isso é porque só o momento certo justificará dizê-lo e o teu talvez ainda não tenha chegado. Vai chegar o dia em que não terás vontade de dizer outra coisa, nem que seja apenas com os olhos. Beijinhos.

De dead ends a 15 de Janeiro de 2009 às 23:17
Boa noite mais uma vez
Quem disse que as palavras não são importantes? São e muito. Não somos adivinhos. Não se trata de colocar em causa os sentimentos de alguém, mas muitas vezes, muitas mesmo, a nossa forma de amar e sentir não é entendivel por si só para a pessoa em questão. Verbalizar é necessário, é indispensável mesmo.
Noutras situações é como diz, não é que duvidemos (porque quando o fazemos já estamos noutro patamar), mas sabe tão bem ouvir só porque sim....

De Homem de Lata a 16 de Janeiro de 2009 às 20:47
Acho que qualquer pessoa gosta de se sentir amada e se as palavras puderem transmitir esse sentimento então usemos e abusemos delas, não por se duvidar dos sentimentos, mas sim por não se duvidar deles. No amor não há espaço para dúvidas e, tal como a dead ends disse, quando essas surgem qualquer coisa já não estará nada bem.

De AnaSara a 16 de Janeiro de 2009 às 09:53
Teremos todos! Porque todos nos revivemos de certa forma nas tuas palavras, amámos no passado, no presente ou no futuro ... mas amamos... e as tuas palavras doces e sinceras sobre o amor levam nos sempre a reviver memórias passadas ou futuras.

De Homem de Lata a 16 de Janeiro de 2009 às 20:07
Acho que os meus sentimentos são comuns a muitos de nós. Afinal o amor não é só meu, felizmente, e esse é uma das suas características mais especial. Vive em todos nós...

De green.eyes a 16 de Janeiro de 2009 às 13:01
As vezes também penso, será que nesta relação sou só eu que AMO? Ou tens dificuldade em dize-lo por palavras?

Se for só eu a amar, então devolve-me o amor que te dei e eu parto para outra.

Bjinho

De Homem de Lata a 16 de Janeiro de 2009 às 20:10
Não tens porquê duvidar, tal como disse no texto. No entanto, compreendo que precises de ouvir, uma ou outra vez, mas se ele não to disser procura nos olhos dele... eles falarão sem qualquer dúvida. Beijoca.

De dead_ends a 19 de Janeiro de 2009 às 11:24
"...procura nos olhos dele..." Há quem diga que os olhos são o espelho da alma....lamento mas no mundo real isso não acontece....quando estamos apaixonados vemos o que queremos ver, às vezes acertamos outras não...

De Homem de Lata a 19 de Janeiro de 2009 às 21:09
Acho que lá no fundo sabemos sempre, podemos é não querer saber... Será?

De dead_ends a 20 de Janeiro de 2009 às 08:58
Precisamente, o manto protector que a escuridão nos traz é confortável, se ficarmos quietos não ganhamos mas também não perdemos.....a claridade, a luz expõe-nos, obriga-nos a agir, esta é uma "batalha" sem resultado anunciado, o desconhecido pode ser assustador...

De Homem de Lata a 20 de Janeiro de 2009 às 23:46
Iludimo-nos, preferimos a ilusão à dura realidade que nos sufoca o coração---

De dead_ends a 21 de Janeiro de 2009 às 09:03
É verdade, mas mais tarde ou mais cedo temos de encarar a realidade, porque quando sentimos esse sufoco no peito é porque a razão nos diz algo diferente e "quando o coração quer pensar é melhor que pense a cabeça"....

De Homem de Lata a 21 de Janeiro de 2009 às 22:13
Totalmente de acordo. Nestas situações temos a tendência de amplificar todos os pequenos pormenores para termos onde nos agarrar. A verdade é que já estamos em queda há muito tempo... demasiado.

 
Posts mais comentados
71 comentários
46 comentários
44 comentários
41 comentários
38 comentários
37 comentários
37 comentários
31 comentários
RSS