1.4.09

O que fazer a tanto amor?

Dividi-lo para que se intensifique?

Partilhá-lo para que se multiplique?

Ou ignorá-lo para que não se complique?

E se não ignorar

 E deveras complicar?

Sem que nada mais se intensifique,

Senão a vontade de não amar?

Sem que mais nada se multiplique,

Senão  a capacidade de errar?

O que fazer a tanto amor?

 

Link Homem de Lata, às 22:39  Comentar

De Margarida a 1 de Abril de 2009 às 23:30
Aproveitá-lo

De Homem de Lata a 5 de Abril de 2009 às 19:14
e escrevê-lo, escrevê-lo, escrevê-lo...

De Mart@ a 1 de Abril de 2009 às 23:45
Adorei o poema :$

Está lindo, lindo *.*.*

De Homem de Lata a 5 de Abril de 2009 às 19:18
Obrigado pelo comentário e pela visita. jokas

De susana Rodrigues a 2 de Abril de 2009 às 01:05
vive-o como se não houvesse amanha. Como se não soubesses se amanha vais acordar e continuar a respirar o mesmo oxigénio de quem amas. Inspira toda a plenitude do teu ser e do que transforma o amor que sentes, por quem amas.
Lindas palavras, acima de tudo verdadeiras e actuais ao meu estado de espirito.
Beijinho
su

De Homem de Lata a 5 de Abril de 2009 às 19:25
É sempre um prazer encontrar-te por aqui...Pois que se viva o amor para que assim se viva realmente. Obrigado por tão sábio conselho que retribuo também. jokas grandes

De malmequers a 2 de Abril de 2009 às 09:23
Se o que quer que sinta (que por vezes acho que não é o que pensa ser), não for estimulado pelo outro, tenderá a dissipar-se no nada...
A preocupação com a evolução retira a magia à vivência...

De Homem de Lata a 5 de Abril de 2009 às 19:10
Ou então não é o que a leitora interpreta ao ler. Ao escrevermos sobre sentimentos damos a quem lê a oportunidade de rever os seus próprios sentimentos... Há um sem fim de interpretações possíveis para cada palavra pois o valor desta depende sempre do valor que lhe atribuirmos. O amor tem ele próprio que ser amado pois caso contrário não sobrevive, concordo plenamente. Obrigado pela visita.

De mar_ta a 2 de Abril de 2009 às 11:12
"O que fazer a tanto amor?"
Amar.

De Wonder Shadow a 2 de Abril de 2009 às 15:14
Faz o que o coração te manda fazer. Segue o que a consciencia te faz transparecer. Respira, observa e por mais que o panico se manifeste, há mais desafios para explorar para além deste.

Falando nisso, deixei-te um no meu blog. Quando puderes passa por lá.

De Homem de Lata a 5 de Abril de 2009 às 19:12
Gostei do seu comentário também ele poético. Obrigado, hei-de passar por lá.

De Ana a 3 de Abril de 2009 às 14:24
Às vezes faço a mesma pergunta!
O que fazer?
E é assim que tento um pouquinho de cada uma delas...
ou tudo junto!
Já dizia o poeta: "Amor foge a dicionários e a regulamentos vários..."(Carlos Drummond de Andrade)!!!
Beijos
visite-me quando puder!

De Homem de Lata a 25 de Abril de 2009 às 20:13
Disse e com muita razão. "Amor foge a dicionários..." Não me irei esquecer, obrigado. Beijocas

De Carolina a 22 de Abril de 2009 às 16:13
Boa perguntaa Homem de Lata! Que fazer a tanto a amor ? .. Aproveitá-lo ? Vivê-lo? Partilhá-lo? Não sei muito de vida. Mas eu provavelmente partilhá-lo-ia. Sou uma pessoa com o coração muito grande :D
Beijinhos

 
Posts mais comentados
71 comentários
46 comentários
44 comentários
41 comentários
38 comentários
37 comentários
37 comentários
31 comentários
RSS