28.12.10

Não há palavra que te dedique sem toda a minha dedicação. Exagero? Não sei, da mesma forma que desconheço uma medida razoável para o amor. Penso até que qualquer tentativa de quantificação não seria razoável de todo. Deixemo-nos de medidas, categorizações, rótulos e parcas convenções pois há coisas cuja única explicação se merece com o simples acto de viver. É à sombra disto que se faz o homem de quem o amor é dono e que a ti deve dedicação, com todo o exagero que a forma, o conteúdo e a imaginação lhe permitem redigir. Não há palavra que te dedique sem toda a minha dedicação. Exagero? Não sei, mas deixemo-nos de medidas à medida que formos amando para que assim, muito naturalmente, amemos sem limite…

Link Homem de Lata, às 18:00  Comentar

De sentires a 6 de Janeiro de 2011 às 11:13
Haverá outra forma de amar que não assim?

E o seu regresso, que espero que seja e não um "falamosdepois" em jeito de despedida, deixou-me feliz

De MF a 7 de Janeiro de 2011 às 14:23
O blog é profundo de sentimentos. Interessantíssimo. Encontrei-o por mero acaso. O homem que vive aí é tudo menos de lata...mas confesso que a ideia de "homem de lata" é girissimo. Você é grande em sentidos e sentimentos...

 
Posts mais comentados
71 comentários
46 comentários
44 comentários
41 comentários
38 comentários
37 comentários
37 comentários
31 comentários
RSS